ACIV participa do 5º Fórum Nacional CACB Mil

WhatsApp Image 2018-06-26 at 11.02.53Aconteceu nos dias 20 e 21 de junho, em Brasília, o 5º Fórum Nacional CACB Mil. O evento foi uma realização da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB).

Com o tema “O papel do empreendedor na construção de um novo Brasil”, a CACB preparou uma pauta sobre a importância do associativismo no desenvolvimento local, liderança empresarial, rumos econômicos do País, além de temas como inovação e comércio internacional.

Participaram da programação o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos; o presidente da Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP), Salimo Abdula; o presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), George Teixeira Pinheiro; o presidente da União Nacional das Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), Paulo Solmucci; entre outros.

Entre os palestrantes estava o economista Ricardo Amorim, que destacou a importância da micro e pequena empresa para a economia. “A gente precisa fomentar a inovação no Brasil e isso começa pela micro e pequena empresa, porque em qualquer lugar do mundo, é nela que há inovação. A empresa grande já está firmada e quer continuar se perpetuando. Quem ousa são as pequenas, mas poucas delas estão fazendo isso”, disse.

Minas Gerais

Uma delegação representando Minas Gerais participou do fórum. Integraram a delegação o presidente da FEDERAMINAS, Emílio Parolini; a presidente da FEDERAMINAS Mulher Yêda Fernal, além de representantes de várias associações comerciais do estado, entre eles o presidente da ACIV, Anderson Martins e o 1º tesoureiro da ACIV, Hederson da Cunha Bueno.

Aproveitando a estadia em Brasília, a delegação visitou a Câmara dos Deputados. Eles foram até o gabinete do Deputado Fábio Ramalho, onde estava presente também o Deputado Esperidião Amim. O presidente da ACIV, Anderson Martins, aproveitou a oportunidade para pleitear junto aos deputados, a simplificação e redução tributária dos impostos.

Deixe uma resposta